Adv. Aderson Feitosa faz duras críticas à atual gestão da OAB

Em artigo publicado, abaixo, o advogado Aderson Feitosa fala sobre o desvirtuamento da OAB, criticando sèriamente às diretorias nacional e secional do Ceará.

“Vivemos tempos difíceis na Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, onde percebemos que muitos dirigentes estão ocupando cargos com o “simples” intuito de defender seus interesses junto aos Governos, Partidos Políticos e Poderes Constituídos, utilizando nossa Instituição como um verdadeiro trampolim para alcançarem interesses privados junto aos mais diversos Poderes Públicos, deixando de lado a verdadeira luta em favor da nossa Classe. Tudo isso em prol de um projeto pessoal de escalada de poder
na política partidária.

Tais dirigentes, ao serem indagados sobre essas questões, corriqueiramente sempre afirmam a mesma resposta feita, parecendo uma verdadeira doutrina imposta de cima para baixo, onde sempre é repetido que “são defensores dos Diretos Humanos e Garantias Fundamentais”, na ânsia de desvirtuar o verdadeiro debate com relação a utilização desonrosa da OAB como trampolim político e de trincheira na defesa dos interesses dos poderosos de plantão. Esquecem eles que estão lidando com Advogados e Advogadas, pessoas esclarecidas, e não com o público feito de manobra eleitoral que estão acostumados a lidar para os partidos políticos para os
quais são filiados.

Direitos Humanos e Garantias Fundamentais não são privilégios de qualquer partido ou ideologia política, que dirá de um Governo. Na verdade, pertencem à humanidade, que sempre teve e terá na nossa Instituição e na Advocacia os seus maiores defensores.

Esse desvirtuamento da crítica e do debate, onde muitas falas tentaram ser caladas durante essa Gestão, não passa de uma forma de querer blindar uma OAB que vive uma das fases de maior silêncio sepulcral com relação aos temas que impactam o exercício da advocacia e da busca incessante da Justiça.

A título de exemplo, podemos citar a inércia e a concordância da OAB-CE com relação a extinção de Comarcas, ferindo de morte o amplo acesso à Justiça para os cidadãos que residem nos Municípios mais pobres do
nosso Estado, que necessitam da presença do Poder Judiciário para fazer valer os seus Direitos, dentre eles os Humanos e Fundamentais.

Repetindo, esquecem que estão lidando com outro público, Advogados e Advogadas, que corriqueiramente estão se demonstrando insatisfeitos e revoltados com o que está ocorrendo, já que é NÍTIDO o abandono dessa Gestão que em nada se opõe aos retrocessos sociais do Poder Judiciário, como a extinção de Comarcas, falta de atendimento nas SEJUD’s e a inércia diante dos constates desrespeitos às nossas prerrogativas.

Outro exemplo gritante foi a falta de gerência, empatia e, porque não irresponsabilidade desta gestão da OAB-CE, que, ao receber R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais), repito SEISCENTOS MIL REAIS, do Conselho Federal da OAB, para auxiliar os Advogados e Advogadas nesse período de pandemia, nada fez para amenizar os efeitos devastadores deste trágico período de forte impacto na vida de vários colegas. Aliás, fez! Preferiu comprar uma HILUX para servir ao Presidente do que ajudar a advocacia que está vivenciando uma forte crise econômica e financeira.

Enfim, nossa luta é contra a subserviência dessa Gestão da OAB diante dos retrocessos sociais perpetrados pelos Poderes Constituídos e da utilização da Instituição como trampolim político. Jamais seríamos contrários aos Direitos Humanos e Fundamentais, que são as Principais Bandeiras do Estado Democrático de Direito. Isso é brincar com a inteligência dos Advogados e Advogadas Cearenses. Repito, a história mostrará que essa
tática de fazer política nunca dará certo dentro da nossa classe. Anotem!”

Aderson Feitosa Ferro Terceiro.
Advogado