Grupo criminoso atuava no Ceará para fraudar Exame da Ordem

OAB publica nota afirmando que colabora com as investigações da Operação Singular

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) publicou nesta terça-feira, 4, Nota Oficial sobre as investigações da Operação Singular. Na nota, a Ordem afirma que já colabora com as investigações da Polícia Federal desde 2018. A Operação Singular revelou que as fraudes envolviam a aprovação de candidatos na 1° fase da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e outros ilícitos. O grupo criminoso atuava nos estados do Ceará, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Nota oficial

A Operação Singular, da Polícia Federal, prendeu cinco pessoas durante ação de combate a crimes cibernéticos, na manhã desta terça-feira (4). Foram encontradas fraudes bancárias, com roubo de dados de cartões de crédito, que envolviam a aprovação de candidatos na 1° fase da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e outros ilícitos.

De acordo com a PF, um dos hackers da quadrilha invadiu o sistema de informática da empresa responsável pela elaboração de concursos e cobrava valores em criptomoedas para aprovar candidatos que conseguissem chegar à segunda fase do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Dos mandados de prisão, dois foram cumpridos em São Paulo (um na capital e outro em Santos); dois no Rio Grande do Sul (em Santa Maria e Tapes) e outro no Ceará (Fortaleza). Os agentes também cumpriram cinco mandados de busca e apreensão.

A Ordem dos Advogados do Brasil vem, desde setembro de 2018, colaborando com a Polícia Federal na investigação. A OAB já solicitou informações da PF sobre os autos e resultados da operação que identificou ataque cibernético ao sistema da Fundação Getúlio Vargas, empresa contratada para a aplicação do Exame de Ordem, e está junto acompanhando as investigações e colaborando com mais informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *