Por indícios de fraude, justiça suspende concurso público em Baixio

O juizado de Ipaumirim  determinou a suspensão do concurso público realizado no Município de Baixio, regido pelo Edital nº 01/2019, assim como o afastamento liminar de todos os servidores nomeados em razão do concurso, com suspensão das remunerações, sob pena de multa diária no valor de R$ 3 mil, em caso de descumprimento ou atraso. Ele atende a pedido do ministério público, após a deflagração da “Operação Amigos do Rei”, que cumpriu mandados de prisão e de busca e apreensão.

O concurso, realizado em 2019 para prover 32 vagas, o concurso foi organizado pela empresa CONSEP – Consultoria e Estudos Pedagógicos LTDA. O resultado definitivo foi publicado no dia 4 de julho de 2019 e, até o momento, foram convocados e empossados 41 aprovados. Segundo o promotor de Justiça João Eder Lins dos Santos, na respondência da comarca de Baixio, há provas concretas que 70% do resultado do certame foi alterado e não é possível verificar os outros 30% porque as provas foram destruídas.

“Amigos do Rei”,

No âmbito da Operação “Amigos do Rei”, o Ministério Público ofereceu denúncia contra Raimundo Amaurílio Araújo Oliveira, conhecido como “Zico”, que é ex-chefe de Gabinete e atual presidente da Câmara Municipal de Baixio; Francisco Bernardo dos Santos, ex-vereador da Câmara Municipal de Baixio; e Dirceu Iglesias Cabral Filho, Tiago Lima Iglesias Cabral e Diego Lima Iglesias Cabral, todos ligados à CONSEP – Consultoria e Estudos Pedagógicos. O esquema criminoso teve origem antes mesmo do lançamento do Edital 01/2019